Seguidores

6 de jun de 2013

Aborto - atentado contra a vida? Acho que não...


Aborto é um assunto que incomoda muita gente. Quem ousa falar que é a favor, muitas vezes é taxado de assassino, desumano, um monstro, onde muitas vezes quem acusa nem tem as informações correta. Pensa que está defendendo o bem, mas acaba ocasionando o mal. Seria realmente desumano o aborto?



Certo dia coloquei no facebook um vídeo do Clarion, do Youtube, falando sobre aborto. É um vídeo muito interessante, e reforça minha opinião a favor da descriminalização do aborto. Recebi um comentário de que qualquer tipo de aborto é um homicídio, inclusive de anencéfalos, estupro e qualquer outro caso.

Pessoas como as que comentaram se revoltam quando o Conselho Federal de Medicina apoiou a descriminalização do aborto se for feito até a 12ª semana, por vontade da mulher. Veja bem, o CFM não apoia o aborto em si, a luta é pela vida, mas o corpo é da mãe e ela escolhe o que quer fazer com ele. 

Na 12ª semana se formam o sistema nervoso e o cardiovascular. Coração batendo e cérebro funcionando, já há um bebê, e ele tem que ter seu direito resguardado. Defendem a vida a partir da concepção, para evitar mortes, complicações, salvar vidas. 

O aborto é a quinta causa de mortalidade materna. Proíbem, mas a mulher, por ser seu corpo, decide abortar mesmo assim, mas de forma perigosa, clandestina, e morrem nas mãos de quem o executa. É um caso de saúde pública, e não de segurança pública. Forçar uma concepção significa sujeitar a mulher não só a abortar clandestinamente, mas a abandonar seu bebê. Temos cerca de 8 milhões de crianças abandonadas. 2 milhões só nas ruas. 

Quando se força a concepção, por conta de um erro (camisinha furada, anticoncepcional que não funcionou, estupro, etc), o bebê pode tornar-se produto desse erro, se a mãe não tiver maturidade o suficiente. Prejudica a vida dela e a dele, quando poderia ser evitado esse sofrimento. 

Se você é religioso, ou tem suas concepções de onde começa a vida e defende isso, ok. Não aborte seu filho, converse com quem quer. Só não tente falar como procurador dos outros, porque a criança só sente dor, tristeza, quando um coração bate e um cérebro funciona, e até a 12ª semana isso não ocorre, então não estamos falando de homicídio.

--
Complementando:
A fim de que o leitor possa ver os dois lados da moeda, apresento aqui o vídeo do Portal Teia, se posicionando contra o aborto e a favor da criminalização dele. Cabem a vocês, verem o vídeo de lá e os argumentos e decidirem.