Seguidores

17 de jun de 2013

Partidos políticos em manifestações: proibir ou não?



Um dos pontos que mais vi e ouvi falar contra as manifestações foi a questão de terem sido levantadas bandeiras dos partidos políticos. Há uma aversão a essas bandeiras que chega a denegrir a importância que o protesto tem e teve no Brasil. O protesto tem multidões, mas subiu uma bandeira de qualquer: não presta. Tem unicamente caráter eleitoreiro. Não é bem assim. 



Confesso que eu discordo desse ponto de vista. Quais motivos teríamos para proibir bandeiras políticas?

A união é de todos, e não de determinados grupos

Nos protestos, vemos bandeiras da UNE, UBES, ANEL, que são entidades estudantis. Há bandeira da anarquia, dos anonymous. Há máscaras dos Anonymous, mostrando que o povo não tem rosto, e todos são um só. Todos levantaram bandeiras. 

O público GLBTT também andam de ônibus, e são vítimas da violação dos direitos humanos. Não seria normal que abracem a causa e levantem suas belíssimas bandeiras coloridas? E o movimento negro, onde os negros, por muitos anos foram explorados tendo que andar em cantos separados dos ônibus, e hoje são explorados junto com os demais, sendo roubados na cara, sofrendo com o descaso? Não podem levantar bandeira também? O MST? As feministas?

Então porque os partidos políticos não podem?

Os grupos GLBTT, Movimento Negro, feministas, etc. não são partidos políticos, são causas. 

E os partidos políticos também apoiam causas. Cada um tem sua identidade. Os partidos de esquerda, por exemplo, ao verem a coletividade prejudicada, e ter como sua causa justamente a coletividade, se sentiram atraídos a levantarem suas bandeiras. 

E se os de esquerda, os capitalistas, individualistas, consideram que a liberdade individual de cada um está sendo ferida, por terem um péssimo serviço, por um preço alto, e ser inadmissível um novo aumento? Não poderão eles abraçarem a causa? Ali, são todos unidos por uma causa só. 

O que defendem não condiz com sua realidade. 

Imagine que a juventude do PT levante uma bandeira, no ato de São Paulo. O prefeito é justamente do PT. Que ironia, não? E porque deveriam ser renegados? Porque não registrar isso na mídia e confrontar os dois lados? Serviria ainda mais para escancarar essa exploração. O próprio partido indo contra si mesmo. 

Fins eleitoreiros...

Lógico que sim. Se o povo vê que determinado partido abraça a causa deles, o povo vai querer votar neles. Se o fim daquela causa for UNICAMENTE eleitoreiro, sem se preocupar com o povo, então os atos de quem já está no poder é contraditório, e isso serve de arma para desmascarar quem é falso. 

Eu vi gente dizendo que haviam vândalos partidários. Mais um motivo para levantar suas bandeiras, se for um vândalo de partido, o partido é responsável, deve arcar com o ônus. 

Só não acho correto desvirtuar o objetivo de um protesto porque algum partido se incluiu.