Seguidores

1 de jan de 2012

Onde acaba o direito de um e começa o do outro?

Direito de um e dever do outro

Onde acaba o direito de um e começa do outro? Onde fica o respeito nessa história? Quem deve abaixar a guarda? E como?




feliz 2012
01/01/2012; Ano novo mais tranquilo, menor numero de familiares reunidos, e menor segurança também (por conta da greve dos policiais do Ceará), mas tudo na paz. Todos comendo e bebendo a vontade. Na rua onde moro, há décadas temos a tradição de colocar músicas de ano novo (de uma determinada rádio que sempre passa), e todos escutam.

Eis que no final desse ano temos novos vizinhos. Não causam encrenca, mas são muito na deles e tem gostos musicais bem diferenciados. Curtem muito hip hop daqueles tipo pacificadores, apocalipse 16 (coloquei uns vídeos lá no Youtube para vocês terem uma noção). Tem um paredão e colocam essa música o dia todo.

Véspera de ano novo não poderia ser diferente. Foram os primeiros a colocar o som e ficarem a vontade na calçada, curtindo. Mas ninguém na rua curte esse tipo de música. E aí, um integrante da minha família segue a tradição: coloca o som do carro dele em frente a minha casa, e tome música de ano novo.

O som ainda é abafado pelo hip hop, então coloca-se o som dentro de casa nas alturas, para escutarmos só o nosso. E do hip hop aumenta também. Assim fica: quem fica de um lado escuta música de ano novo, com um chiadinho de hip hop. Quem fica do outro, hip hop com chiado de música de ano novo. E quem fica entre um e outro? Confusão músical certa.

De um lado, temos tradição, cultura, muito tempo de casa. No outro, colocaram a música primeiro, e assim como não somos obrigado a escutar a música deles, eles também não são obrigados a escutar a nossa. Famílias que não se falam, sem chances de conversas.

E aí que me pergunto: onde acaba o direito de um e começa do outro? Quem chega primeiro ou quem já tem a tradição?

Leitura complementar:
Greve: direito ou abuso?