Seguidores

19 de jan de 2012

Quer passar em concurso? Vai ter que dar o sangue (literalmente)

Sabe-se que para passar em concurso, tem-se que dar o sangue, batalhar, se dedicar profundamente. Pois é, pensando nisso, o deputado Luiz Argôlo (PP-BA) decidiu interpretar isso na literalidade e criou o projeto de lei para colocar doação de sangue como critério de desempate para a aprovação. Agora sim terão que dar o sangue. Mas como fica os impossibilitados fisicamente de doarem sangue?











Eu, sinceramente, achei uma excelente ideia do deputado colocar doação de sangue como critério de desempate. Pense bem: é algo seguro, não dói (não considero dor uma picadinha e uma leve fraqueza momentânea), é rápido e salva vidas. É um dever moral nosso, e todos devem fazer, exceto aqueles que são impossibilitados de tal coisa, como anêmicos, hipertensos, etc.

Já há um benefício para doador de sangue. Doou duas vezes no mesmo ano, não paga a inscrição pro concurso público. Agora, já que não há ainda essa consciência entre a população toda, esse é um excelente incentivo. Levanta-se automaticamente a seguinte questão: pessoas impossibilitadas fisicamente ficarão em desvantagem quanto a isso, serão prejudicadas? É  um caso a estudar.

 Eu pensei nos adventistas do sétimo dia também, mas ao contrário do que eu pensava, eles não podem fazer transfusão de sangue, mas doar podem sim, inclusive fazem campanhas para isso.

Será que os impossibilitados de doarem sangue terão uma carteirinha comprovando que não podem, e assim terem a mesma vantagem dos que doaram? E será que já não chegou a hora de acabar com a gratuidade de inscrição para pessoas com baixa renda? Não por preconceito, mas para um incentivo forçado a doarem sangue duas vezes ao ano.

Fica a dica, e espero a manifestação de vocês. .