Seguidores

21 de jul de 2013

Questionar ou não. Eis a questão.

Não existem só os extremos de negar e afirmar. É possível questionar. Podemos ser imagem de semelhança de alguém melhor que nós mesmos. A perfeição pode ser procurada de forma específica, mas nem todos procuram de forma ampla. Até porque não é um sonho, é utopia. 

Interessante o último vídeo e texto publicados pela Rachel Sheherazade no SBT Brasil - jornal em que ela faz seus comentários. Em resumo ela afirmou que mesmo não sendo da mesma religião do papa, o admira e que, apesar do ceticismo ter crescido, a religião cresceu ainda mais, porque a necessidade de amar a deus é maior que a de negá-lo. 

Finaliza dizendo que todo ser humano busca a perfeição, ser imagem e semelhança de alguém melhor que ele, para voltar á fonte tão puro quanto a deixou. 

Naturalmente, ela sabe usar muito bem as palavras, e eu concordo em parte com ela, inclusive. Eu, pelo menos, busco sempre corrigir os meus erros, e ser imagem e semelhança de alguém melhor que eu. Mas...

A necessidade de amar a deus é maior que a de negá-lo...

Nem um extremo, nem outro. Quando se fala em ceticismo, se fala em disposição de questionar tudo. Então a necessidade é essa: questionar. Nem negar, nem amar. A negação é atribuída a ateus, agnóstico ou gnósticos, fracos ou fortes, seja lá qual a terminologia adotada. O ateu tem seu ceticismo, mas o cético não necessariamente é adepto do ateísmo. Talvez pro agnosticismo. 

Todo ser humano busca a perfeição...

Negativo. Generalizar é perigoso. Você não tem procuração para falar em nome de todos. Eu não me vejo buscando perfeição. Diminuir os erros não é o mesmo que tentar apagar todos. Até porque seria uma utopia buscar a perfeição de um modo geral. 

Ser imagem e semelhança de alguém melhor que você...

É provável que a maioria seja assim. Não só em relação a divindades, mas em relação a pessoas mesmo, se espelhando no pai, no amigo, num monge, e por aí vai. Eu não sou diferente.

Voltar a fonte tão puro quanto a deixou...

Depende de qual fonte esteja falando. Para um cristão, certamente é a terra. Mas todo ponto de vista depende da vista de um ponto, já dizia Leonardo Boff. Então isso é relativo.

Questionar ou não.. eis a questão.