Seguidores

13 de jan de 2012

Cracolândia: unir ou expandir?

A cracolândia, no centro de São Paulo, o núcleo do tráfico e consumo de drogas e da prostituição, foi ocupada por policiais. No anseio de fazer o que o Rio de Janeiro anda fazendo (que estava ocupando morros, desarmando o tráfico) os policiais colocaram o núcleo abaixo. Mas não prenderam muita gente. Expandiram, espalharam. E agora os arredores do centro estão rodeados por essas pessoas. Os moradores estão em pânico. O que fazer? Unir, ou expandir?


Aviso importante aos leitores de nossos feeds e atualizações por e-mail: observei que o resumo da postagem ficou meio confuso pelo tamanho da letra. A partir de hoje, ficarei com o tamanho de letra padrão, para melhor visualizações de vocês.

Afinal, qual o objetivo? Acabar com o tráfico de drogas ou com a união? Deveria ser os dois. Mas não é o que ocorre. Dizem que espalhando, eles terão menos união, e os traficantes terão mais dificuldades. É verdade, mas o desejo do consumo não vai diminuir, o vicio. E o desespero pela facilidade poderá ocasionar maiores níveis de violência, já que um viciado é capaz de roubar, matar e fazer qualquer coisa para conseguir dinheiro e drogas. E onde eles vão fazer isso? Na cidade toda, pois estão espalhados. 


Deixar a cracolândia unida também não é a solução, já que os traficantes terão acesso fácil, e não mudará o quadro. O que fazer então? Uma solução que vejo é deixar a cracolândia, e ir "caçando" os principais traficantes, levando para a cadeia, e junto com eles os viciados que puder, para fazer um tratamento, e aos poucos ir diminuindo. 

É a melhor solução? Não sei, mas o governo tem condição de saber, pois tem mais tempo, dinheiro e pessoas para pensar nisso. O que não pode deixar é que fique como está. Moradores assustados, ambientes se desvalorizando, comércio sendo prejudicado. Entendeu? Puxou o tapete, caem todos que estão nele. 

Onde a polícia ver um grupo de viciados, chega com bala de borracha e violência. Mas não prendem, empurram. Paulo Moreira Leite, e sua coluna Vamos Combinar, da revista eletrônica Época, divulgou uma carta de um vizinho que mora perto da cúpula do tráfico e da prostituição, e mostra o pânico que o vizinho, bem como outros moradores sofrem. Vale apena dar uma olhada. 

Onde vamos parar? Aliás, onde estamos querendo chegar? O que fazer? A população pede socorro.